Home / Colunistas / DERMATOPATIAS PSICOGÊNICAS

DERMATOPATIAS PSICOGÊNICAS

site-200x300Por Dr. Henrique Uehara – CRMV 31186
Fone: (17) 3363-7003 – Clínica Uehara

 

Sabe-se que há uma ligação entre a saúde mental e a saúde física, principalmente descrita na medicina humana e extrapolando para a medicina veterinária. Devido a este fator, proprietários e médicos veterinários devem estar atentos ao bem estar físico e mental dos animais, para proporcionar conforto emocional da mesma forma que promove a saúde física.
Alguns estudos revelam que a maioria dos proprietários com animais com comportamento anômalos, os consideram graves. Devido a este e outros fatores, observa-se aumento na população de cães e gatos abandonados.
Os animais de companhia podem apresentar vários sinais, sendo as mais comuns são a agressividade, ansiedade, comportamento destrutivo, desobediência, comportamento compulsivo ou repetitivo e disfunção cognitiva.
Deve-se ressaltar que algumas doenças físicas levam a alterações comportamentais como a agressividade ou irritabilidade, mudança na interação social e confusão.
Nos cães, as alterações obsessivo/compulsivas se caracterizam pela exacerbação de comportamento ritualísticos, estereotipados ou repetitivos, podendo interferir nas atividades da rotina diária dos animais e dos proprietários.
Alguns desses distúrbios comportamentais podem acarretar em doenças chamadas de dermatoses psicogênicas, relacionadas principalmente a influência do meio social, observada em indivíduos que são submetidos a situações frustrantes, estressantes ou de isolamento excessivo, que permanecem por longos períodos presos ou confinados em canis, podendo algumas vezes sofrer agressões de seus proprietários.
A manifestação mais comum encontrada é a chamada dermatite psicogênica ou dermatite por lambedura, observada principalmente em animais que vivem em espações restritos e sem estímulos ambientais, porém pode acometer qualquer animal.
Diversos tipos de tratamento vem sendo testados, como a corticoterapia tópica e sistêmica, antibioticoterapia e em alguns casos necessário a intervação cirúrgica.

FIQUE ATENTO

A afecção se caracteriza por ciclo de atitudes repetitivas e estereotipadas, principalmente em extremidades de membros. Devido a lambedura compulsiva desenvolve-se lesão cutânea superficial com prurido, criando um ciclo onde o animal passa-se a lamber com mais intensidade e perpetuando a lesão, ocorrendo dermatite úmida com espessamente cutâneo, alopecia local e hiperpigmentação.
Deve-se diferenciar as lesões psicogênicas de outras causas dermatológicas. Para tal é importante o acompanhamento do animal pelo médico veterinário.

Foto: Divulgação

lambedura

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Powered by themekiller.com